Como Surgiu a Festa Junina

Como surgiu a Festa Junina? Bom, muitas pessoas não fazem ideia de como começou essa tradição que já está no sangue de todos os brasileiros!

Depois do carnaval, esse é o evento mais esperado do calendário brasileiro!

Entretanto, você já se perguntou como foi que essa festa começou, de onde vem o casamento caipira, a fogueira, a quadrilha, etc?

Como Surgiu a Festa Junina

As festas juninas acontecem em vários países ao redor do mundo e tem suas origens no século XII, na região da França. Mas, nem por isso, espere ver um monte de franceses de roupa quadriculada e tomando quentão em junho, em pleno verão europeu!

No Brasil, o formato que conhecemos hoje chegou através dos padres jesuítas e logo incorporou costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.

Os primeiros registros de festa junina no Brasil, são de 1603. Isso mesmo, as pessoas pulam fogueira muito antes do que você imaginava!

Está associada a três santos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Aliás, esse último é muito solicitado nessa época!

Pobre Santo Antônio, as mulheres costumam amarrá-lo e colocá-lo de cabeça para baixo, castigá-lo e chegam a afogá-lo, até que o coitado arrume um pretendente para dar cabo da solteirice, ou seja, o dia do santo.

Mas, quem ganha presente, ou melhor, exige, são as devotas.

Esse hábito foi incorporado à festa com o casamento na roça, um dos momentos mais aguardados do arraial. A noiva aparece grávida e seu pai obriga o noivo bêbado a casar, com a espingarda apontada para a cabeça do noivo. Ele tenta fugir de todo jeito, mas com a ajuda do delegado da cidade o casamento acontece.

Você já se perguntou por que todo mundo vira granfino na hora de dançar quadrilha e sai falando “anarriê”?

A quadrilha de salão era muito popular na França, quando veio para o Brasil através da corte portuguesa. Desde aquela época, nossa elite adorava uma dança importada.

E, o que nós fizemos com essa dança? Tacamos um pandeiro, uma zabumba, um triângulo, um acordeom e pronto! A coisa ficou bem mais animada!

Falando em acordeom, uma das figuras mais marcantes das festas juninas, quase impossível passar por  uma delas sem ouvir uma de suas músicas, foi Luiz Gonzaga, o rei do baião.

Ele difundiu e popularizou as festas juninas cantando sobre o sertão e o povo nordestino. Canções como  “Asa branca”, “Xote das meninas” e “Vida de viajante são repertório certo nessa temporada de clássicos da música brasileira.

Gostou? Então, compartilhe com os amigos!

Veja também: