Como Criar Um Filho Otimista

Como criar um filho otimista usando as dicas deste artigo de suma importância para quem é pai ou mãe. As próximas linhas poderão definir o futuro dos seus filhos!

Primeiro, precisamos definir o que é ser uma criança otimista, discutir se o otimismo é genético ou não e como o mundo enxerga o otimismo versus o pessimismo em uma criança. Depois, veremos como você pode ensinar o otimismo – mesmo que a genética não esteja a favor do otimismo – usando seus próprios exemplos e amor.

Existe um meme circulando na Internet sobre crianças otimistas x crianças pessimistas. Trata-se de em uma sala cheia de cocô e uma sala com todos os brinquedos imagináveis. A criança otimista passa algumas horas na sala cheia de cocô e sai dela feliz, coberta de cocô. A criança pessimista vai para a sala de brinquedos – que tem todos os brinquedos imagináveis – e tem uma experiência horrível. A criança pessimista sai da sala negativa e indiferente.

Este é um exemplo muito radical e essa não é nem uma história verdadeira, mas demonstra claramente as diferenças na maneira como a maioria das pessoas vê o otimismo versus o pessimismo. A criança otimista consegue ver o lado bom até mesmo em um ambiente cheio de cocô, enquanto a pessimista não consegue valorizar nem mesmo um lugar cheio de brinquedos divertidos.

Esse é, de certa forma, um problema relacionado à maneira como ensinamos as crianças o valor do otimismo sobre o pessimismo. Você não precisa passar ideias irreais para as crianças a fim de ajudá-las a se tornarem mais otimistas e, portanto, mais felizes.

Acontece que a definição de otimismo é basicamente “o sentimento ou crença de que coisas boas acontecerão mesmo que isso seja improvável.”

Portanto, de certa forma, a capacidade de ser otimista parece ser de certa forma irreal.

No entanto, estudos mostram que a capacidade de ver o lado bom das coisas faz bem para as pessoas, porque elas tendem a ser mais felizes, mesmo quando as coisas não acontecem como esperado. Por esse motivo, valoriza-se muito a criação intencional de filhos otimistas.

Uma das principais perguntas que cientistas e pais têm feito é se o otimismo (e o pessimismo) é genético ou não. Quando se trata de criar filhos, a velha questão ‘natureza versus criação’ muitas vezes surge – não para dissuadir os pais de tentarem mudar uma característica negativa de seus filhos, mas para ajudar a compreender qual é a melhor maneira de ensinar e orientar uma criança.

Viver a vida da melhor maneira possível é o principal objetivo, e cada vez mais estamos descobrindo que a felicidade está mais ligada à capacidade da criança de ser otimista e, portanto, feliz, do que de fato aos acontecimentos da vida da criança. Isso não quer dizer que uma criança não possa se tornar pessimista – ainda que não o fosse anteriormente – devido a certos acontecimentos em sua vida. Isso pode acontecer. É aí que entra a velha questão ‘natureza versus criação’. Sim, o otimismo é parcialmente genético, mas também é parcialmente resultado da criação. Ele é formado pelas duas coisas.

Um componente genético foi descoberto e ele pode afetar certas pessoas mais do que outras. No entanto, isso não significa que, através de seu exemplo e dedicação, você não possa guiar seu filho pessimista a ter pensamentos e ações mais positivas. Além disso, a menos que você vá fazer um teste genético, você não terá como saber se isso é algo com o qual você nasceu ou aprendeu ao longo da vida.

Isso se aplica principalmente se você (ou alguém que esteja perto da criança com frequência) tende a ter uma personalidade mais pessimista.

A melhor maneira de abordar isso como pai/mãe é entendendo que, se seu filho está se comportando de maneira pessimista, isso pode ter origem genética. Não é que ele esteja tentando ser negativo ou se malcriado. Ele não consegue evitar esse comportamento até que aprenda como mudar seus pensamentos e ver as coisas de outra maneira.

O pessimismo não necessariamente é uma característica permanente da personalidade de uma criança, quer ela tenha o gene ou não. No entanto, se tiver origem genética, essa pode ser a principal característica de sua personalidade até que ela aprenda a ser mais otimista. Mesmo assim, ela pode continuar tendo dificuldades para lidar com isso, mas ter as ferramentas adequadas fará uma grande diferença em sua vida.

As crianças podem aprender a ser mais positivas e você pode lhes mostrar o caminho. Esse será um ótimo aprendizado que as ajudará por toda a vida, permitindo que elas vivam uma vida mais feliz de maneira geral.

Mesmo que o comportamento pessimista seja genético em certa medida, é essencial entender que, como pai/mãe, você tem muito mais poder sobre a maneira pela qual o pessimismo de seus filhos se desenrola do que você pode imaginar.

Você pode demonstrar e moldar a melhor maneira de lidar com pensamentos e situações negativas a fim de torná-los mais positivos. Por exemplo, se seu filho costuma dizer: “Não consigo fazer isso, então por que tentar” em relação a temas específicos como matemática, esportes, vida social ou qualquer outra coisa, você deve tentar ajudá-lo a mudar esses pensamentos e atitudes negativas para que ele seja capaz de experimentar o sucesso. É experimentando o sucesso e aprendendo a interpretar o que é a sensação do sucesso que ele terá a sensação de que é capaz de fazer “aquilo” – seja lá o que for – e isso o incentivará a tentar, mesmo que talvez não seja bem-sucedido.

Para ajudá-lo, é preciso mostrar como ele é pode transformar seus pensamentos e atitudes negativas em pensamentos e atitudes mais positivas e assertivas. Por exemplo, se seu filho não estuda matemática por achar muito difícil e por achar que vai falhar de qualquer maneira, arranjar um professor de matemática para ele, reservar horários específicos para o estudo de matemática e mostrar como ele deve se se dedicar a seus estudos ajudará a mostrar que ele é realmente capaz de aprender se realmente tiver força de vontade, ou seja, se dedicar seu tempo e tiver ajuda especializada.

O pessimismo não afeta seus filhos apenas quando são crianças. Quando se tornarem adultos, poderá afetá-los ainda mais, quando tiverem que elaborar e administrar um orçamento, manter um casamento, criar seus filhos com propósito ou simplesmente viver uma vida feliz e saudável.

Na verdade, ainda que tenham sucesso na vida, esse comportamento e atitude pessimistas podem acabar destruindo a alegria. É difícil ver o lado bom da vida quando só salientamos o que é ruim. Atitudes e ações pessimistas conduzem a menos êxitos, porque impedem as pessoas até mesmo de tentarem, ao passo que viver a vida com otimismo e planos conduz a mais êxitos graças ao simples ato de tentar.

Seja no campo acadêmico, nos esportes ou em situações sociais, quanto mais seu filho experimentar diversas áreas da vida, mais chances ele terá de ter êxito – mesmo que às vezes as coisas não saiam como ele espera.

Não se trata de tentar e sempre conseguir exatamente o que deseja; trata-se de tentar e conseguir pelo menos parte do que você deseja e aprender a ser grato por isso.

Afinal, deixar de fazer algo por medo de falhar não é melhor do que tentar fazer algo e falhar. Porque mesmo na derrota, você sempre aprende algo que faz com que a próxima vez seja melhor.

como ter filhos otimistas

Como Criar Um Filho Otimista

Como pensam a maioria dos bons pais, moldar o comportamento que você quer ver em seus filhos funciona melhor do que pedir para que que eles não tenham o comportamento que você condena. As crianças precisam de exemplos claros sobre como agir em todos os tipos de situações e, elas aprendem isso primeiro com você.

Crianças Copiam Tudo!

Tudo – desde a maneira como você segura seu garfo, aos tipos de comida que você gosta, até o quão otimista você é sobre as coisas que acontecem com você a cada dia – tudo isso são coisas que as crianças aprendem e imitam. Mesmo que elas não tenham total entendimento, elas adoram copiar o que você está fazendo.

Observe como uma criança de dois ou três anos aprende a dizer “obrigado”, “por favor” e outras palavras que você usa quando se dirige a outras pessoas. Ou como uma criança de quatro anos dá tapinhas nas costas de um amigo que se machucou, assim como sua mãe ou pai fazem com ela. Pense em algumas coisas que seu filho começou a fazer apenas por ter observado os outros ao seu redor. Isso prova que ser um bom exemplo é crucial para criar um filho otimista.

Você Deve Começar a Dar Bons Exemplos Cedo!

Você começa a criar uma criança otimista a partir do momento em que ela começa a observar o comportamento das pessoas ao redor e copiá-lo. Você provavelmente só percebe isso quando ela faz algo constrangedor em público, mas nem tanto quando ela não está fazendo nada muito embaraçoso.

Mas não se preocupe; mesmo que você não tenha dado um ótimo exemplo do comportamento que você valoriza, está tudo bem. E mesmo que você não seja a pessoa mais otimista, vocês podem aprender a ser mais otimistas juntos. Mas é você quem deve dar o primeiro passo, porque seu filho busca em você exemplos de como agir.

Saiba Como Seu Comportamento Afeta Seu Filho!

Para ser um bom exemplo para seu filho, é importante que você perceba como suas ações o afetam e como isso é importante, de modo que você possa eliminar seus desvios e maus hábitos antes de se dedicar aos dele. Bons modelos de comportamento sabem que têm que dar o exemplo e que as crianças estão observando e copiando tudo o que eles fazem. Como pai/mãe, você é automaticamente um modelo de comportamento. Você é o principal modelo de comportamento.

Como principal modelo para seu filho, quer você queira ou não, é essencial que você entenda que é assim que seu filho vai aprender a ter uma vida com propósito, honra, integridade, honestidade e esperança no futuro. Eles usarão a sua vida como modelo para basear seu próprio comportamento e vida.

Modelos de Comportamento Às Vezes Cometem Erros!

Mesmo sendo um exemplo para seus filhos, você às vezes cometerá erros. No entanto, esta é uma oportunidade de se tornar um grande modelo para seus filhos mostrando como você lida com seus erros.

Pais que assumem seus erros, que pedem desculpas à sua família e a seus filhos e que procuram reparar os danos causados pelos erros ensinam a filhos lições valiosas que não podem ser ensinadas efetivamente de nenhuma outra forma.

Como pai/mãe que reconhece o impacto de seu comportamento sobre seus filhos, você sabe que possui o poder único de ajudá-los a ter uma vida mais feliz e plena.

Estudos mostram que pessoas mais otimistas dizem ser mais felizes. E se você é capaz de melhorar a perspectiva de vida de seu filho sendo simplesmente um exemplo de otimismo ao invés de pessimismo para que ele se sinta mais feliz, por que você não faria isso? Isso realmente faz uma grande diferença.

Como Mudar o Estilo Explicativo de Seu Filho!

Como mencionado acima, pessimismo e otimismo são a maneira pela qual você vê as coisas que acontecem com você a cada dia. Se você é pessimista, tende a ver o pior em qualquer situação e pode não ter nenhuma esperança de um futuro melhor devido a esses tipos de pensamentos.

Se você é otimista, tende a ver coisas boas mesmo quando elas não estão indo muito bem e imagina um futuro brilhante independentemente de provas em contrário.

Como o otimismo desenfreado pode levar algumas crianças a fazerem escolhas erradas, pode ser tentador não reprimir estilos explicativos pessimistas, mas o fato é que estudos mostram que crianças mais otimistas, assim como adultos mais otimistas, tendem a viver vidas mais satisfatórias e felizes do que suas contrapartes pessimistas.

Resumindo, uma criança otimista explicará como ela vê as coisas usando linguagem e emoções positivas, enquanto uma criança pessimista usará linguagem e emoções negativas para contar às pessoas como ela vê as coisas. Se seu filho tende para o lado pessimista, você pode ensiná-lo a inverter esses pensamentos e ideias a fim de torná-los mais positivos.

A criança pessimista pode muitas vezes dizer coisas como “é culpa minha”, “não pude evitar”, “nada funciona”, “nunca serei capaz de fazer isso ou aquilo”, “sou ruim em matemática, ciências, esportes”,” todo mundo é mau”,” todo mundo me odeia “,”isso é impossível “,”está muito calor” e assim por diante. E a pior de todas: “É assim que as coisas são.”

Elas também podem se frustrar rapidamente quando experimentam coisas novas. Por exemplo, se estão tentando aprender matemática, podem ficar chateadas durante o dever de casa e afirmar, em meio a lágrimas, que nunca, jamais, jamais vão conseguir aprender. Esta é a marca registrada da criança pessimista: seja lá o que for, não vai funcionar, ela não vai conseguir entender e não adianta – na cabeça dela.

Normalmente, esse tipo de atitude tem a ver com o fato de elas se sentirem impotentes com relação a si mesmas e, portanto, acabam acreditando que também são impotentes nas situações que enfrentam no dia a dia – desde se arrumar para ir para a escola, até fazer a lição de casa, brincar com amigos, entre muitas outras coisas.

Infelizmente, a negatividade irá permear todos os aspectos de sua vida continuamente, a menos que alguém intervenha e tente ajudar a orientar a criança a começar a ver o mundo através de perspectivas mais positivas. Felizmente, você pode começar agora mesmo a ajudar seu filho a ver as coisas de forma diferente assim que você perceber que ele tem essa tendência pessimista com relação a tudo.

Não Seja Superprotetor(a) Com Seu Filho!

Toda criança precisa superar obstáculos para se tornar mais positiva sobre sua capacidade de superar as barreiras. Mesmo que seu filho tenha dificuldade de lidar com emoções no que se refere a essas questões, você não pode impedi-lo de enfrentar obstáculos que precisam ser superados.

Permita que Seu Filho Expresse Emoções!

Ser otimista não significa que emoções habituais não podem ser expressas. Todo mundo sente raiva, tristeza e emoções nada divertidas e felizes devido a certas coisas que acontecem, e está tudo bem. Isso é normal e está tudo bem. Não tente mudar a forma como seu filho se sente, porque você não é capaz de fazer isso.

Use Seu Estilo Explicativo de Maneira Consciente!

Sendo você o principal o modelo para seu filho, as crianças costumam aprender muito com você – inclusive quanto à forma de ver o mundo e as coisas que acontecem com você. A maneira como você explica as coisas para sua família na mesa de jantar em uma conversa é tão importante quanto qualquer situação que aconteça com seu filho, porque isso demonstra para a criança o que é aceitável em relação à vida.

Faça Perguntas Relevantes!

Quando seu filho estiver lhe contando uma história sobre o dia dele e essa história parecer negativa demais, ajude-o a trocar as palavras e os pensamentos. Por exemplo, pergunte o que ele fez de bom naquele dia, em vez de perguntar “O que aconteceu hoje?” Isso o levará a pensar mais nos aspectos positivos do dia do que nos negativos.

Ensine Afirmações Positivas!

Uma das melhores ferramentas para qualquer pessoa com tendência à negatividade é usar afirmações positivas. Você pode encontrar uma lista de afirmações positivas para crianças online, mas você também pode ajudar seu filho a criar afirmações próprias e específicas para suas necessidades. Por exemplo, se seu filho é sempre negativo antes de ir para a escola, crie uma afirmação positiva para esse evento. “Estou bem vestido, limpo, alimentado e pronto para aprender.”

Mostre ao Seu Filho Que Sempre Existem Várias Soluções!

Uma das razões pelas quais algumas crianças são pessimistas na maneira como veem sua vida tem a ver com o fato de acreditarem que existe apenas uma maneira de fazer algo. Às vezes, ser otimista não tem nada a ver com “positividade”, mas com verdade.

Portanto, não ensine seu filho a ser irreal em seu otimismo; em vez disso, ensine que existem muitas maneiras de abordar um problema e que existem muitas soluções para o problema de qualquer pessoa.

Ensine-o a Controlar Suas Reações!

Pergunte o que ele pode mudar em relação a algo que aconteceu ou, caso seja algo que tenha acontecido novamente, o que ele poderia fazer de diferente. Refletir sobre declarações como “é culpa minha” usando as lentes da realidade pode mostrar que a culpa na verdade não é dele. E caso a culpa seja dele, você também pode mostrar que está tudo bem.

Afirmações Neutras Podem Ser Melhores do que as Muito Positivas Às Vezes!

Quando você estiver ensinando seu filho a usar palavras diferentes para descrever suas experiências, elas nem sempre precisam ser moldadas de maneira estritamente “positiva”. Às vezes, ser excessivamente positivo pode parecer estranho e irreal. Em vez disso, simplesmente fazer uma constatação que não seja nem positiva nem negativa pode ajudar a tornar a criança mais otimista.

Ensine Seu Filho a Ter Gratidão!

Pessoas que são gratas por sua vida e pelo que possuem também tendem a ser mais otimistas. Você pode ensinar isso através de orações diárias, mantendo um diário de gratidão ou fazendo com que cada pessoa da família diga pelo que é grato em determinado momento do dia. Tudo o que você faz por você também funciona para seus filhos.

Pratique isso com seu filho transformando as descrições do que aconteceu, do que está acontecendo e do que pode acontecer em algo neutro, e depois em algo positivo. Faça perguntas relevantes com foco no positivo para ajudar a moldar a discussão. Ajude seu filho a começar e a manter um diário de gratidão e faça questão de se expressar usando um tom neutro ou positivo na frente de seus filhos.

Erros Que os Pais Cometem Na Criação de Filhos Pessimistas!

Se você sabe que seu filho é mais pessimista do que a maioria, isso pode ser um pouco frustrante – especialmente se você for uma pessoa otimista. Você pode se sentir perdido se não souber lidar com os pensamentos e sentimentos de seu filho.

Evitar os seguintes erros ao criar filhos pessimistas será muito útil:

Superproteger Seu Filho!

Vale a pena mencionar isso novamente. A superproteção é algo que geralmente começa quando os filhos ainda são bebês. Geralmente se manifesta através do micro gerenciamento de cada minuto do tempo do seu filho. Mesmo uma criança deve ter liberdade para brincar sem orientação. Filhos mais velhos devem ser responsáveis por administrar suas próprias amizades, e os pais devem recuar à medida que os filhos crescem.

Não Ensinar os Filhos a Serem Responsáveis!

Este é, de certa forma, outro aspecto da superproteção. Uma coisa que todo mundo precisa aprender na vida é a ter responsabilidade. Todo mundo em algum momento é responsável por lavar suas próprias roupas, fazer tarefas domésticas, fazer a lição de casa e trabalhar. Se você não começar a ensiná-los agora que essas coisas são responsabilidades pessoais e como elas devem ser feitas, eles terão dificuldade em lidar com isso quando forem adultos.

Ser Pais-Helicóptero!

Conforme seu filho for crescendo, deixe que ele assuma o controle de sua própria vida. Você não precisa perguntar sobre o trabalho de inglês quando ele estiver no Ensino Médio, porque isso é responsabilidade dele. Ele nunca aprenderá a fazer as coisas sozinho se você micro gerenciar cada minuto do tempo dele. Deixe que ele aprenda sozinho – e sim, deixe-o falhar de vez em quando também (afinal, ele está na idade).

Dizer ‘Sim’ Com Muita Frequência!

Outra coisa que não é muito boa para crianças, apesar de parecer otimista a princípio, é sempre dizer sim para elas com relação a tudo. Você não precisa dizer ‘não’ sem ter um bom motivo, mas não deve dizer ‘sim’ para tudo apenas para evitar conflitos. Ser otimista é lidar com conflitos de maneira positiva, e não viver sem conflito algum.

Não Incentivar Seu Filho a Assumir Riscos Inteligentes!

Muitas pessoas pessimistas são extremamente avessas a riscos. Essa é uma das razões pelas quais elas não gostam nem de tentar – elas veem isso como algo inútil. No entanto, se você for capaz de mostrar a seu filho uma maneira realista de avaliar o risco que ele deseja correr, você poderá mostrar a ele como assumir riscos inteligentes na vida. Por exemplo, embora seja um risco tentar ser líder de torcida, pondere isso por um momento. O pior resultado possível é não se tornar líder de torcida.

Tratar Inteligência como Maturidade!

Muitas crianças parecem ser muito espertas e maduras. No entanto, ser inteligente, especialmente nos estudos, não tem absolutamente nada a ver com maturidade. A maturidade só vem com a experiência, e é por isso que você pode guiar seu filho à maturidade com diálogos abertos sobre as questões do dia a dia.

Mentir Sobre a nossa Natureza Humana!

Isso pode ser difícil para alguns pais, mas é importante que seu filho não apenas aceite a humanidade de outras pessoas, mas também a sua própria. Você tem que decidir o que é apropriado para o seu filho e o que não é com base na idade dele e na situação em que ele se encontra, mas contar que você falhou ou cometeu um erro quando criança pode ajudar a criança a aprender mais com você.

Não Perceber Que Você é o Principal Modelo para Seu Filho!

Você pode achar que um treinador, um professor, um ministro ou qualquer outra pessoa é um modelo para seu filho, mas acontece que o pai de um menino e a mãe de uma menina são os modelos mais significativos para ela. Isso pode ser difícil de aceitar às vezes, mas é a verdade. E se você quer que seu filho se comporte de uma determinada maneira, você deve dar o exemplo para ele.

Evitar Ensinar Valores e Moral!

Uma das maneiras pelas quais uma criança pode aprender a tomar boas decisões é tendo um guia para se basear. Criar uma declaração de missão familiar sobre valores e moral pode ajudar a criança a aprender a tomar boas decisões.

Consertar Tudo Para Ele!

Se seu filho cometer um erro, não tente evitar que ele sofra as consequências. Isso pode ser muito tentador, mas não vai ensiná-lo a ser otimista nem a ser um cidadão exemplar. Um bom exemplo: você nem sempre precisa levar livros e trabalhos para seus filhos que estão no ensino fundamental caso eles tenham esquecido. E, é claro, você nunca deve se envolver nas brigas de seu filho com os amigos dele.

Os pais devem encontrar um equilíbrio para lidar com seus filhos, levando-os a ter um comportamento mais otimista, ao mesmo tempo em que permitem que eles sejam quem são, sem julgamentos. Sua casa deve ser um lugar seguro para seus filhos serem quem eles são, mas ao mesmo tempo, você pode orientá-los a ter pensamentos e comportamentos mais positivos.

Coisas Que Você Pode Fazer para Criar uma Criança Otimista!

Embora a natureza às vezes vença, quando se trata de natureza versus criação – no caso de criar um filho otimista – você ainda tem poderes sobre a situação devido ao fato de as crianças responderem muito bem ao comportamento moldado pelos pais e à opinião dos pais e de outros adultos sobre a vida deles.

Há muitas maneiras de criar um filho otimista e, se ele não for totalmente otimista, que pelo menos seja capaz de ver o lado bom e aproveitar o que há de bom na vida.

Ouça Mais Sem Fazer Julgamentos!

Quando seu filho lhe contar sobre os problemas dele, sempre leve a sério o que ele diz. Não diminua as emoções de seu filho para ensiná-lo a ser otimista. As crianças também têm decepções na vida, assim como você. Os sentimentos delas são tão poderosos quanto os seus.

Demonstre Seus Sentimentos!

Ser otimista não significa não ter sentimentos considerados desfavoráveis pelas pessoas. Trata-se de ter esses sentimentos, mas ser capaz de ver o lado bom de qualquer maneira. Por exemplo, se você está de férias na praia, mas todos os dias que você acorda está chovendo, o dia inteiro, todos os dias, não é problema algum ficar triste com o que está acontecendo.

Mas você não precisa permanecer nessa negatividade. Está chovendo e isso é decepcionante, mas não é o fim do mundo. Uma pessoa otimista encontrará outra coisa para fazer diferente do que foi planejado e ficará feliz com isso, mesmo que ela demonstre estar desapontada com a chuva.

Dê Carinho!

As crianças que recebem mais afeto – incluindo tapinhas na cabeça, abraços, carinho nas costas, sorrisos genuínos e assim por diante – tendem a ser mais felizes e otimistas. Estar sempre de braços abertos, sorrindo, pronto para dar um beijo e um abraço ajuda a aliviar os sentimentos negativos do mundo exterior.

Seja um Modelo de Positividade!

Quando você vive sua vida, coisas boas e ruins acontecem com você. Mostre a seu filho como reagir positivamente através do seu comportamento quando as coisas acontecerem. Isso não quer dizer que, se algo ruim acontecer, você deve sempre agir positivamente. Ter sentimentos não é um problema. Mas se está chovendo e você queria sair para jogar frisbie, isso não é motivo para ter uma crise. Em vez disso, você pode ser grato pela chuva e encontrar outra coisa melhor para fazer.

Elogie Seu Filho Quando Ele Tiver Êxitos!

Mesmo quando seu filho alcançar pequenos êxitos, encontre maneiras de elogiá-lo. Por exemplo, se ele tentar entrar para o time de atletismo, mas não conseguir, ainda assim vale a pena comemorar a tentativa.

Não Castigue os Fracassos!

Conquistar um D com esforço em uma prova ainda é melhor do que tirar um D ou um F sem nem mesmo ter tentado. Não tentar não é uma coisa boa, mas tentar e falhar não é inútil. Se você estudou muito, mas mesmo assim não foi tão bem quanto queria, não é o fim do mundo. Você pode transmitir esse tipo de atitude a seus filhos através de seus próprios exemplos de tentativa e fracasso.

Tenha Paciência para Ensinar Habilidades para a Vida!

Outra ótima maneira de demonstrar otimismo para seu filho é tendo muita paciência para ensinar habilidades comuns da vida cotidiana, como usar o penico, amarrar os cadarços, limpar o quarto, ser organizado, estudar e assim por diante. Ninguém sabe fazer nada até que sua mãe, seu pai ou outra pessoa ensine, e não há problema nenhum em não aprender imediatamente.

Dê a Seu Filho Liberdade Para Brincar!

Não programe cada momento da vida do seu filho. Na verdade, é crucial para o desenvolvimento do cérebro que seu filho fique entediado às vezes. O tédio pode levar à criatividade. Além disso, brincar é divertido, estimula o sistema imunológico, ajuda a liberar os hormônios do bem-estar e leva a uma maior positividade em relação à vida.

Mantenha a Realidade Apropriada à Idade!

Embora você não queira esconder tudo do seu filho, você quer que eles aprendam quase tudo sobre a vida antes de seguirem seu caminho sozinhos. No entanto, você deve tentar manter a realidade apropriada à idade. Seu filho de quatro anos não precisa saber sobre bombardeios em outros países, crianças morrendo de fome ou tiroteios ocasionais em salas de aula. Embora essas coisas sejam fatos da vida, deixe que seu filho conduza as discussões e faça as perguntas para que ele não se sinta sobrecarregado.

Evite Confortar Com Comida!

É muito tentador subornar crianças com comida para que realizem tarefas como usar corretamente o penico e assim por diante, mas isso leva a uma relação nada saudável com a comida. Em vez de ensiná-las a encontrar conforto na comida, ensine-as outros métodos como meditação, ioga e afirmações positivas.

Aceite Que Crianças Também Têm Problemas!

Só porque seu filho é uma criança não significa que ele tenha uma vida fácil e sem problemas. Às vezes é difícil ser criança. Ela não está acostumada a sentir emoções fortes e a vida pode ser confusa. Quando seu filho expressar sentimentos, não o reprima e aja como se crianças não tivessem problemas e sentimentos verdadeiros. Elas têm. Mostre a elas que isso é normal.

Destaque o que Há de Bom em Todas as Situações!

Quando algo não estiver indo bem, comece a destacar as coisas boas. Usando o exemplo anterior, se você estiver na praia e estiver chovendo todos os dias de suas férias, dê ênfase aos filmes incríveis que você tem visto ou aos jogos indoors que você tem jogado e que não costuma jogar, e a outros aspectos incríveis da viagem.

Conclusão

Finalmente, certifique-se de proporcionar muitas experiências felizes para seu filho como parte de sua vida familiar. Esteja alegre no jantar, de manhã e durante os eventos, e ria das coisas quando elas não saírem exatamente como planejado.

Porque lembre-se, não se trata de garantir que tudo seja perfeito. Trata-se de ser otimista apesar de as coisas não serem perfeitas. Essa habilidade garantirá que seu filho tenha uma vida muito mais feliz do que alguém que não é capaz de reagir dessa maneira.

O importante é que cada momento do seu dia seja uma chance de demonstrar comportamentos e pensamentos positivos e otimistas para seus filhos. É assim que você deve ensiná-los. Você dá o exemplo, eles o absorvem como uma esponja e o repetem.

Veja também: