PUBLICIDADE

Os Vinte e Poucos Anos

Os vinte e poucos anos estão acabando com muita gente. Entenda um pouco sobre a pressão sobre as pessoas nessa idade tão bonita e sofrida. Veja isso!

Quando você termina o ensino médio, te dizem que você ainda não tem faculdade. Quando você termina a faculdade, já te dizem que você não tem emprego.

Então, você consegue um emprego e te julgam por não ganhar um bom salário. Quando você ganha bem, te criticam por não cuidar do próprio corpo.

Dessa forma, você paga nutricionista, faz dieta e academia, e te falam que você abandonou a família. Você constitui uma família e já te dizem que você não tem sua casa própria.

os vinte e poucos anos

Os Vinte e Poucos Anos Estão Acabando Com Muita Gente

Portanto, você mal sabe o que quer da vida e te cobram casamento, filhos, 6 idiomas e um carro do ano. Mas ninguém te diz quanto custa isso tudo.

Veja, a vida começa com cobranças enormes e um emprego de um salário mínimo. Isso, para você poder ser “alguém”. É absolutamente ridículo!

Entretanto, o tempo vai passando. Quando a gente abre o Instagram e parece que a vida de todo mundo está melhor que a nossa, bate a ansiedade “gritando” que você tem pouco tempo, que está ficando para trás, que é inútil e fracassado.

Porém, quanto mais o tempo passa, seu círculo de amizades diminui e as baladas não são mais tão divertidas. E, então, você descobre que muitos amigos não eram tão amigos assim e começa a se culpar pelo erro dos outros.

Você descobre que o “para sempre” é cada vez mais curto!


Você se pega trabalhando onde nunca imaginava, gostando de coisas que nunca achou que gostaria e, com o tempo, a sua maior vontade não é mais entender os outros, e sim, entender a si mesmo.

O ciclo de vida parece alternar entre dias médios e horríveis. E o tempo? O tempo passa cada vez mais rápido e quando você pensa em ontem, se dá conta que já se passaram 10 anos!

Então, os vinte e poucos anos não são legais…

Com 15 anos a gente não sabe sequer fazer um currículo. Com 25 anos, tem que ter uma empresa, não importa a saúde psicológica, emocional e nem física.

E não importa se estamos infelizes, ansiosos ou depressivos. O que importa mesmo, é se você “é alguém” na vida.

Parece besteira, mas enquanto todos só veem dinheiro, nós vamos morrendo por ser tanta coisa e simplesmente ninguém percebe isso!

Texto adaptado – autor original @luizguiprado

Leia também: